Física e Literatura

Nosso elo primeiro com o mundo é através da visão – esse sentido que nos é tão corriqueiro e que parece banal. Entretanto “ver” precede o que quer que seja – ver precede o que dizemos. “Ver precede as palavras” e a maneira como escolhemos ver o mundo – as coisas – é oriunda em grande parte dos nossos saberes. Portanto, olhamos o mundo fundamentados em nosso arcabouço – em nossos conhecimentos prévios, em nossas crenças e em nossos valores.

Assim podemos observar em uma tela que a intenção do pintor foi, talvez, expressar o que os nossos olhos e saberes podem ler.

Nessa palestra, levaremos você a escolher, sobretudo a forma de ver e perceber o mundo que o cerca. E como toda liberdade implica em conhecimento, você será livre para saber. A decisão é sua – caminhar ou estagnar.

O que esse trabalho propõe é uma reflexão de ideias e não um retrato da realidade, convidamos você a inaugurar uma nova construção e aplicação na busca da junção da ciência e da arte, voltando seus olhares para as belezas da Física, vista através da pintura, que é absolutamente surpreendente.

 

 

 

 

 

 

 

 
Mão com esfera refletora – 1935 – Escher